8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA CAXIAS DO SUL - REGULAMENTO

REGULAMENTO  

DOS OBJETIVOS

Art. 1º- A 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA é um concurso artístico-literário de poesia e declamação com temática gauchesca regionalista, aquela que fala dos “Usos e costumes do povo gaúcho”, que visa à valorização e difusão da cultura gaúcha, contribuindo, assim, para a preservação do patrimônio cultural do Rio Grande do Sul.
            

DA COORDENAÇÃO

            Art. 2º- A coordenação do festival a 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA será exercida por sua Comissão Executiva, composta por membros da Querência da Poesia Xucra.
            § 1º - A Comissão Executiva será responsável pela Pré-Produção, Produção, Pós-Produção e Divulgação do Festival a     8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA.
            § 2º - A Comissão Executiva será responsável, ainda, pela constituição da Comissão Avaliadora, a qual selecionará os poemas finalistas.

DO CONCURSO

Art. 3º - Poderão participar da 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA, poetas e declamadores de todas as querências.
              Art. 4º - Somente poderão participar poemas inéditos, ou seja, não publicados e/ou gravados e que estejam  relacionados aos objetivos do evento.
Art. 5º - As inscrições serão efetuadas mediante a apresentação da ficha técnica, devidamente preenchida. Os poemas deverão ser digitados em texto Word, constando apenas o título do poema sem a identificação do autor. Sendo que, para cada poema terá uma ficha de inscrição e uma cópia digitada em texto word com remessa via e-mail: querenciadapoesia@gmail.com 
§ 1º - Todo material enviado para inscrição não será devolvido, fazendo parte do acervo do festival.
§ 2º - Não serão aceitas inscrições de poemas entregues, diretamente a comissão avaliadora.
§ 3º - Cada autor poderá inscrever um número ilimitado de poemas, onde poderá se classificar somente 01 (um).
Art. 6º - As inscrições para o festival terão início às 00h do dia 16 de novembro de 2016 e  encerram-se às 23h59min do dia 13 de Fevereiro de 2017, valendo a data de postagem no correio eletrônico.  Após a triagem, os poemas classificados serão amplamente divulgados no Blog da entidade, bem como por e-mail.
Art. 7º - Encerrado o prazo para as inscrições, serão selecionados 10 (dez) poemas finalistas, podendo a comissão desclassificar, em caso de comprovações duvidosas ou não satisfeitas com este regulamento, para compor o CD/DVD do festival.
- Parágrafo único - Após a divulgação da triagem, os autores dos 10(dez) poemas finalistas, terão o prazo de 10 (Dez) dias corridos, para o envio das fichas técnicas autenticadas em cartório, valendo a data da postagem. Não havendo o envio, o poema será desclassificado. Sendo assim, o mesmo será substituído pelo primeiro suplente selecionado.
           Art. 8º - A realização da 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA, ocorrerá no dia 29 de Abril de 2017, às 20h em Caxias do Sul junto ao CTG GINETES DA TRADIÇÃO no Bairro de Ana Rech, onde subirão ao palco e deverão ser apresentados os dez (10) poemas finalistas.
          Art. 9º - Cada declamador poderá apresentar somente 01 (um) poema dos finalistas.
          - Parágrafo único - Poderá ser apresentado o poema na forma de dueto.
            Art. 10º - Os declamadores que interpretarão os poemas finalistas poderão fazer-se acompanhar de seus instrumentistas, que concorrerão ao prêmio de Melhor Amadrinhador.
            - Parágrafo único - Cada instrumentista poderá acompanhar, no máximo, 02 (dois) poemas finalistas.
             Art. 11º - Será realizado a passagem de som no palco da apresentação das 16h30min às 19h, do dia do festival, 29 de Abril de 2017.
            Art. 12º - Os declamadores e os instrumentistas, dos poemas finalistas, deverão estar pilchados.
            Art. 13º - A apresentação do poema finalista no palco é de inteira responsabilidade do autor.
              - Parágrafo único - Será cancelada a ajuda de custo e desclassificado o intérprete, que na sua apresentação de palco, promover leitura ou consulta ao respectivo texto.
            Art. 14º - A 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA concederá a cada concorrente finalista, a título de ajuda de custo, o valor de R$ 200,00 (Duzentos Reais).
             Art. 15º - A 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA se compromete a efetuar os pagamentos das premiações, mas não estipula a forma de pagamento, podendo ser em dinheiro, cheque nominal ou similar.

              - Parágrafo Único – Todos os pagamentos serão efetuados apenas aos que constarem na planilha de custo do festival, que será fornecida pela Comissão Executiva à tesouraria.
           
DA PREMIAÇÃO
Art. 16º - Os vencedores da 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA receberão a seguinte premiação:

1º Lugar Poema - R$ 200,00 + Troféu                            1º Lugar Intérprete - R$ 200,00 + Troféu
2º Lugar Poema - R$ 150,00 + Troféu                            2º Lugar Intérprete - R$ 150,00 + Troféu
3º Lugar Poema - R$ 100,00 + Troféu                            3º Lugar Intérprete - R$ 100,00 + Troféu

                                                      1º Lugar Amadrinhador - R$ 200,00 + Troféu
                                                      2º Lugar Amadrinhador - R$ 150,00 + Troféu
                                                      3º Lugar Amadrinhador - R$ 100,00 + Troféu

                                                 
CREDENCIAMENTO E ALIMENTAÇÃO
             Art. 17º - O credenciamento será feito na secretaria, junto ao local do evento, no dia 29/04/2017 até as 16h30min.
            Art. 18º - A Querência da Poesia Xucra estará recepcionando os participantes no local do evento, onde será servido um café campeiro aos poetas, intérpretes e amadrinhadores.
              Art. 19º - Ao público em geral não incluso no Art. 18º, poderão participar das refeições adquirindo o respectivo ingresso.

DISPOSIÇÕES GERAIS
            Art. 20º - Casos omissos, bem como eventuais dúvidas surgidas no decorrer da 8ª QUERÊNCIA DA POESIA GAÚCHA, serão resolvidos pela Comissão Executiva.




 Comissão Executiva e Informações:                                               
Onadir Carvalho: (54) 99966.0114 (vivo)
Evandro Borges (Dedé) (54) 99677.6066 (vivo)
Rita de Cássia dos Santos (54) 99947.3432 (vivo)


REALIZAÇÃO                                                                                               
QUERENCIA DA POESIA XUCRA
Arno Moscato: (54) 99912 3237 (vivo)          

FICHA DE INSCRIÇÃO AQUI                                   
                                                                                                                                                       
                   

                                                                                                   

A Querência da Poesia Xucra promove evento do dia do Índio e do Chimarrão

O Prefeito Alceu Barbosa Velho participou na manhã desta terça-feira (19.04) da cerimônia alusiva ao Dia do Índio (19) e do Chimarrão (24), seguida pelo plantio de uma árvore de erva-mate. A atividade, na Praça da Bandeira, foi promovida pelo Núcleo Vinhedos, Web Rádio Clarim Farrapo e A Querência da Poesia Xucra, em parceira com as Secretarias Municipais da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA) e do Meio Ambiente (SEMMA).

O objetivo é de tornar conhecida no ambiente urbano a árvore símbolo do Estado, além de valorizar a erva-mate como símbolo cívico e matéria-prima para a fabricação da bebida mais popular do Rio Grande do Sul: o chimarrão. A intenção é de possibilitar também a visitação de escolas ao local.

Para o presidente do Núcleo Vinhedos/ABCC, Sebastião Teixeira, o ato é de valorização à história de todo o país e do Rio Grande do Sul. “Com essa ação, queremos resgatar a história de uma etnia percursora em todo o país e na região da Serra Gaúcha. Além disso, valorizamos a erva-mate, árvore símbolo do Estado, que nós dá a erva para a bebida tão tradicional no nosso Rio Grande do Sul. E isso tudo estamos fazendo numa região (Praça da Bandeira) onde antigamente foi o local chamado Campo dos Bugres, estadia dos índios há muitos anos. Valorizamos, assim, todo o trabalho desse povo para Caxias do Sul”, disse.

O titular da SMAPA, Araí Horn, destacou a força econômica da erva-mate para o todo o Estado. “A erva-mate foi a 1ª economia do Rio Grande do Sul. É um setor bastante ramificado em pequenas propriedades e na agricultura familiar. Talvez não tanto em Caxias do Sul, mas outros municípios. Além disso, a bebida que fizemos com ela, é a mais tradicional e aceita em todos os ambientes da sociedade. Por tudo isso, plantamos essa árvore e reconhecemos todo o legado deixado pelos índios à nossa cidade”, lembrou.

Segundo o titular da SEMMA, Adivandro Rech, o momento é simbólico. “Este momento tem um simbolismo todo especial, porque o promovemos na Praça da Bandeira, à sombra da maior bandeira hasteada na cidade, plantando a árvore de erva-mate, no Dia do Índio. Tudo isso é cultura. E essa cultura tem nos auxiliado na preservação ambiental. Em 2013 iniciamos a gestão com muitas solicitações de corte e nenhuma de plantio e hoje já plantamos mais de 20 mil árvores, entre elas erva-mate e pinheiros, é a comprovação de que estamos no caminho certo”.

Ao lado da representante da Tribo Caingangue, Maria Dedoa Silva Castro, o Prefeito Alceu Barbosa Velho, salientou que esta é a primeira celebração ao Dia do Índio com a presença de uma verdadeira representante indígena. “Maria, sua presença aqui neste dia muito nos honra. Foram vocês que deram início ao chimarrão, ainda quando mascavam a folha da árvore. E é para preservarmos a lembrança da importância do índio que a Prefeitura e seus parceiros promovem este ato. Quando os italianos chegaram aqui, conviveram com os índios, neste mesmo local onde estamos, o  chamado Campo dos Bugres. Desde lá, Caxias continua recebendo gente de todos os cantos do mundo”, lembrou.

Alceu terminou sua fala declamando a poesia Chimarrão, de Glaucus Saraiva. “Amargo doce que eu sorvo. Num beijo em lábios de prata. Tens o perfume da mata. Molhada pelo sereno. E a cuia, seio moreno, que passa de mão em mão. Traduz, no meu chimarrão, em sua simplicidade, a velha hospitalidade. Da gente do meu rincão. Trazes à minha lembrança, neste teu sabor selvagem, a mística beberagem, do feiticeiro charrua, e o perfil da lança nua, encravada na coxilha, apontando firme a trilha, por onde rolou a história, empoeirada de glórias, de tradição Farroupilha. Em teus últimos arrancos, ao ronco do teu findar, ouço um potro a corcovear, na imensidão deste pampa,
e em minha mente se estampa, reboando nos confins, a voz febril dos clarins, repinicando: ‘Avançar’! E então eu fico a pensar, apertando o lábio, assim, que o amargo está no fim, e a seiva forte que eu sinto, é o sangue de trinta e cinco, que volta verde pra mim”.

Participaram do ato, a primeira-dama e coordenadora de Comunicação, Alexandra Baldisserotto, o presidente da Câmara de Vereadores, vereador Edi Carlos Pereira de Sousa, diretor-presidente da CODECA, Paulo Ballardin, diretor-presidente do SAMAE, Idair Moschen, coordenador distrital, Jones Pedó, coordenador da 25ª Região Tradicionalista, Raul Telles, diretor da Web Rádio Clarim Farrapo, Márcio Basso Gomes, presidente da Querência da Poesia Xucra, Arno Moscatto dos Santos, diretor executivo da Escola do Chimarrão, Pedro Schwengber, delegado da 16ª Regional Serra da Secretaria do Desenvolvimento Social do Estado, José Ivan Rodrigios, presidente do Núcleo do SOI, Pai Ademir de Oxum, integrantes do grupo escoteiros Moacara, representando a 4ª CRE, Flávia Meneghini, alunos, professores e vice-diretora da Escola Estadual Pena de Moraes, representantes da Tribo Caigangue e do COMUNE.

A ação contou como apoio da 25ª Região Tradicionalista, do SAMAE e da Câmara de Vereadores.

Assessoria de Imprensa - Prefeitura de Caxias

Galeria

Créditos: ÍCARO DE CAMPOS
Créditos: ÍCARO DE CAMPOS
Créditos: ÍCARO DE CAMPOS
Créditos: ÍCARO DE CAMPOS
Créditos: ÍCARO DE CAMPOS
Créditos: ÍCARO DE CAMPOS
Créditos: ÍCARO DE CAMPOS
Créditos: ÍCARO DE CAMPOS

3º Querência